Astronauta recordista

Muitas pessoas alimentam a ilusão de um dia conhecer o planeta Terra pelo lado de fora. Hoje, uma viagem como esta é praticamente impossível de ser realizada por pessoas comuns e, por isso, passar um segundo sequer no espaço vai ser o sonho distante de muita gente. Para os astronautas, no entanto, isso é comum. Faz parte de seu dia a dia, de sua rotina, estar fora de órbita. Mas tem sempre alguns que passam do ponto e fazem o que ninguém fez.

Como foi o caso da astronauta italiana Samantha Cristoforetti, que começou uma missão na Estação Espacial Internacional (ISS) no dia 24 de novembro de 2014. Ela estava à bordo da cápsula Soyuz, e acompanha os astronautas Terry Virts (NASA) e Anton Shkaplerov. Depois de meses no espaço, Samantha retornou no dia 11 de junho e, por conta disso, se tornou a astronauta mulher que ficou mais tempo em órbita: 199 dias.

Segundo informações das agências de notícias europeias, os três astronautas deveriam ter deixado a Estação Espacial no dia 14 de maio, mas nem tudo aconteceu como esperava. Um problema na nave de abastecimento os obrigou a passar mais tempo viajando. Eles aterrissaram com sucesso no Cazaquistão, por volta das 14h44, pelo horário de Lisboa.

O cosmos

O cosmos é objeto de fascínio de diversos povos, mas é difícil encontrar um mais encantado pelas estrelas que os gregos. Na cultura grega, as constelações estavam profundamente ligadas aos diversos deuses que habitavam o panteão da antiga civilização. Acreditava-se que os deuses lançavam heróis, criaturas e representações no céu para que ficassem imortalizados por todo o sempre. Daí, nasciam as constelações.

Podemos observar diversas ocorrências disso. A constelação de escorpião, por exemplo, era tida como uma representação do próprio animal e estava atrelada à morte do caçador Órion. Segunda a lenda, o caçador tinha como objeto matar todos os animais selvagens para vangloriar-se. A deusa Gaia, irritada com a intenção do homem, enviou um escorpião para matá-lo. E assim o fez através de uma picada envenenada. Como recompensa pelos serviços prestados, a deusa eternizou sua imagem nos céus, onde o escorpião continuou perseguindo Orion para sempre.

Outra história interessante é a lenda da constelação de Câncer. Ela está ligada a uma tentativa de matar o semideus Héracles (Hércules para os romanos, como hoje é mais conhecido) ou praticada pela deusa Hera. Depois de diversas tentativas frustradas, a ardilosa deusa enlouqueceu Héracles, fazendo-o cometer um crime terrível. Para ser perdoado, ele precisou realizar doze trabalhos, sendo que um deles era matar uma hidra. Na batalha, Hera enviou um caranguejo gigante para ajudar a criatura na tentativa de sobrepujar a força sobre-humana do semideus. Mas nem os esforços conjuntos dos dois seres foram suficientes contra o poder de Héracles. Mesmo falhando, Hera decidiu homenagear o caranguejo e fez o mesmo que Gaia fez com o escorpião, lançando o crustáceo aos céus.

Também vale apontar a lenda da constelação de Touro. Observando a bela Europa, filha do rei Agenor, enquanto a jovem colhia flores, Zeus se apaixonou por ela. Para conquistar seu amor, o poderoso Zeus se transformou num imponente touro branco e apareceu à beira mar aonde Europa costuma passar seu tempo. Encantada com a imponência do animal e beleza com que se movia, a linda jovem colocou algumas flores em seu pescoço e resolveu montar nele. Quando isso ocorreu, ainda disfarçado de touro, o deus seguiu em disparada em direção ao mar. Daí, finalmente Zeus se revelou e levou a moça à Ilha de Creta, em meio ao mediterrâneo. Lá, Europa se tornou rainha e os dois amantes tiveram três filhos. O feito ficou registrado nas estrelas através da constelação de touro.